Image Map

13 agosto 2015

O meu Facebook é de quem mesmo?

Você está escrevendo em uma rede social então você posta o que quer e lê o que não quer.

Sério que as pessoas acham isso? 
Onde fica aquela cordinha que separa a individualidade de cada um de nós?
Arrancaram brutalmente e vandalizaram meu espaço sem dó nem piedade!

Difícil acreditar no ser humano assim, egoísta mesquinho e hipócrita.

Meu espaço é só meu, seja ele compartilhado ou não publicamente.

Posso estar errada, equivocada. Mas esse sempre foi meu pensamento.

Há tempo venho me coçando para escrever um "recadinho" e sei que vai virar reboliço na minha rede social.

É! Porque tudo que posto tem alguém pra dizer: nossa, eu não agiria assim Juliana. Olha mundo, sou melhor que você.

Bom, vamos do início então.
Eu amo que as pessoas comentem ou curtam minha postagens, amo que me coloquem interrogações e discordem de forma legal.
 As pessoas do meu face são muito queridas. Sempre participam da minha rede social. 
E eu amo tanto isso que ando correndo atrás de sorteios e mais sorteios pro blog simplesmente por saber que essas pessoas que estão por perto podem ganhar algo. Eu deixo claro aqui que não preciso de seguidores no blog ou na fan page do blog. Não ganho dinheiro com isso, meu trabalho é a fotografia. Preciso de curtidas e seguidores lá. 
Eu só preciso aqui de pessoas que curtam o que escrevo e quem sou. Faço isso por mim e tento retribuir o carinho das formas que consigo.
Então, se você comenta, se você curte, se discorda, se concorda, não importa. Eu amo isso!

A questão aqui são os "falsos moralistas" que sentem a necessidade de se mostrarem melhor para o mundo.
Vou ser mais clara ok?

Eu sou o tipo de pessoa que não preciso me esconder atrás de palavras bonitas e mensagens de auto ajuda 24H. Quando eu falo ou posto algo é porque é verdadeiro, eu sinto o que falo, não falo nada por falar. Quem é meu amigo sabe que eu nunca solto um eu te amo "de graça". Não "aliso ego" de ninguém. E quando faço o faço de coração.

Eu sou um ser humano cheio de falhas erros e celulites hahaha.
Então eu mostro o que sou. Não tenho medo de dar a cara para bater. Não tenho medo de gargalhar de um acontecimento que eu achei graça. Nem de expor meus pensamentos.
Se isso é bom ou ruim não sei, mas essa sou eu.

Eu tenho um senso de humor bem peculiar. Adoro rir e falar besteiras, e rir das besteiras sérias é ainda melhor, ameniza a vontade de socar alguém.

De tantos fatos já ocorridos vou contar um um pouco mais recente.
Eu posto uma foto do batizado da minha filha e a pessoa vai lá no meu face de fotografia e perguntas: "QUANTOS" QUE É O QUILO DO BOLO?

Olha, se eu disser que quase fiz xixi na calça de tanto rir, não estarei mentindo somente omitindo porque acho que dizer que eu fiz vai ser feio.

Achei engraçado e fui postar na minha página, depois de já ter respondido educadamente que eu não era boleira e sim fotógrafa e que não era meu aquele bolo.

Postei em meu face sem dizer nomes nem magoar ninguém: O que responder para a pergunta dela.
Várias pessoas me falaram para falar que eu não fazia bolo e tal. Normal, podem não ter entendido que eu só achei graça e queria compartilhar a minha alegria do dia, eu já sabia o que responder.
Mas foi então que recebi um comentário dizendo que se ela fosse eu, responderia com EDUCAÇÃO, sem debochar da pessoa pois ela poderia vir a ser um dia minha cliente.
Então paramos por aqui para analisar.

1 - eu respondo com educação todas as pessoas, que mesmo sem ser cliente, mesmo sendo meu concorrente me mandam alguma mensagem.
2 - eu brinquei com a pessoa dizendo que eu nunca havia rido tanto e juntas rimos até da situação, só não fizemos xixi mais.
3 - eu não preciso de falso moralismo em minha página, me ensinando a tratar da coisa que mais amo fazer na vida que é atender bem meus clientes e fotografa-los.
4 - você não é melhor do que eu por não ter achado graça.
5 - leia o 1, 2 3 e 4 de novo!

Tem gente que vê tudo com olhos ruins, tudo que lê acha que é intriga ou briga, tudo que vê acha que está errado.
Penso que pessoas assim só refletem o que são.

Bom, essa é apenas uma das coisas que acontecem sempre no meu face.
Tem gente postando no comentário que eu cobro muito caro.
Outras que querem questionar o tempo todo meus posts.
Outras que fazem questão de dizer o quanto elas são diferentes, mais gentis e mais "descoladas"de certas questões... ( é nada! nos "encontrinhos e grupos" vivem falando mal de um e de outro)
Outras que prefiro nem comentar.

Enfim, quero deixar claro que críticas são aceitas e absorvidas.
Mas eu não vou em seu face criticar você publicamente, corrigir você publicamente.
Não concordo com tantas coisas que leio por aí e nem por isso perco meu tempo indo no face do outro e comentando o que acho ou deixo de achar.

Eu creio que as redes sociais são para nos socializarmos sim. E se vemos algo temos direito de opinar, mas se lembre que existe uma retinha imaginária, lembra, que sua mamãe falava? Onde termina o seu limite e começa o limite do próximo.

Gentheee por favor! Não estou aqui falando que não podemos discordar ou opinar, estou a dizer que as vezes é melhor mesmo ficar com o dedo no nariz ao invés de escrever bobagens no post do outro.
Você não é melhor do que ninguém por agir de forma diferente, são apenas diferentes!

Vamos ter um bom senso!
Há uns dias recebi uma "crítica" de uma fotógrafa fofa que adoro. Dizendo, Ju, sua foto, na hora da fusão, você esqueceu o cantinho e está aparecendo um fio.
Sabe onde ela veio falar?? No meu inbox, particular, não para todo mundo ver e saber de algo que talvez nem tinha visto ainda.
Isso é ter noção. Isso é ter educação.

Eu sou apta em receber todas as críticas possíveis, apesar das pessoas terem medo de fazer isso, não sei pq kkkk. Mas é sério, como crescer sem elas? Eu preciso saber onde ando errando! Me falem! Mas ME falem.

E chega de mimimi, caixinha de fósforo e bobeirinha.







Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Image Map